Vá diretamente para a pesquisa Vá diretamente para a lista de A a Z Vá diretamente para a navegação Vá diretamente para as opções de página Vá diretamente para o conteúdo do site

Informações técnicas e clínicas

Este site é atualizado com frequência, no entanto, alguns conteúdos podem ser exibidos em inglês até que sejam traduzidos.

Evidência laboratorial de possível exposição ao zika vírus

A evidência laboratorial de possível infecção pelo zika vírus para o registro de gravidez com zika nos EUA é definida como

  • Infecção recente pelo zika vírus detectada pelo teste de ácido nucleico (NAT) para RNA de zika (por exemplo, reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa em tempo real [rRT-PCR]):
    • RNA do zika vírus detectado por NAT em qualquer amostra clínica de feto/bebê (por exemplo, soro, urina, sangue total, líquido cefalorraquidiano, líquido amniótico, sangue do cordão umbilical, saliva, placenta, tecido do cordão umbilical, membranas placentárias ou tecido fetal)
  • Infecção recente pelo zika vírus ou infecção recente por flavivírus detectada por testes sorológicos de soro da mãe ou do bebê ou líquido cefalorraquidiano:
    • IgM do zika vírus positivo ou duvidoso E concentração ≥10 no teste de neutralização por redução de placas (PRNT) para zika (independentemente do valor de PRNT para vírus da dengue) OU
    • IgM de zika vírus positivo ou duvidoso E PRNT para zika vírus não realizado segundo o protocolo dos departamentos de saúde estadual, tribal, local ou territorial OU
    • IgM de zika vírus negativo E IgM de vírus da dengue positivo ou duvidoso E concentração ≥10 de PRNT para zika vírus (independentemente da concentração de PRNT para vírus da dengue).
    • Estes critérios de inclusão são intencionalmente amplos devido à conhecida reatividade cruzada no teste de IgM e à incapacidade de distinguir entre zika vírus e vírus da dengue por meio do uso de PRNT.
    • Se o IgM de zika vírus e IgM de vírus da dengue na mãe forem ambos negativos, e o PRNT na mãe foi realizado por protocolo jurisdicional com concentração ≥10 de PRNT para zika vírus, são necessários testes adicionais para atender aos critérios de inclusão. Por exemplo, se o teste materno for realizado >12 semanas da possível exposição ao zika vírus e o teste de IgM materno for negativo com concentração ≥10 de PRNT para zika vírus, o par mãe-bebê seria incluído, se o bebê tivesse o IgM de zika vírus positivo ou duvidoso, RNA do zika vírus ou antígeno detectado, ou zika vírus cultivado.
  • Infecção pelo zika vírus confirmada por outros testes em qualquer amostra clínica da mãe ou do feto/bebê (por exemplo, soro, urina, sangue total, líquido cefalorraquidiano, líquido amniótico, sangue do cordão umbilical, saliva, placenta, tecido do cordão umbilical, membranas placentárias ou tecido fetal)
    • Cultura do zika vírus
    • Detecção do antígeno do zika vírus.

*Revisada e atualizada continuamente

Períodos de exposição

  • A exposição periconcepcional é definida como a infecção materna pelo zika vírus durante as 8 semanas antes da concepção (6 semanas antes do primeiro dia do último ciclo menstrual).
  • A exposição pré-natal é definida como a exposição fetal a uma infecção materna pelo zika vírus durante a gravidez, mas antes do parto.
  • A exposição perinatal é definida como a exposição fetal à infecção materna pelo zika vírus no momento do parto ou próximo a ele quando a mulher é infectada pelo zika vírus a aproximadamente 2 semanas do parto.

Idade gestacional e trimestres

  • A data estimada do parto (EDD) é uma métrica essencial para o registro de gravidez com zika nos EUA. Para determinada gravidez, uma EDD deve ser estabelecida no início da gestação com base no primeiro dia do último ciclo menstrual (LMP) ou por medições de ultrassonografia. As estimativas de EDD são geralmente determinadas no início da gravidez e podem ser confirmadas por ultrassonografia. A ultrassonografia feita no início da gravidez é mais precisa para confirmar a EDD do que as feitas mais tarde. Quando surgirem dúvidas sobre a EDD mais precisa, o CDC trabalhará com o departamento de saúde e, caso solicitado, o profissional de saúde, para determinar a EDD mais precisa para o registro. É importante incluir como a EDD foi estabelecida, pois essa informação auxiliará a determinar o tempo de exposição e a idade gestacional.
  • O registro define os trimestres da gravidez usando as definições do American Congress of Obstetrics and Gynecology:
    • O primeiro trimestre começa nas 2 semanas após o último ciclo menstrual (gestação de 2 semanas) e se estende até 13 semanas e 6 dias.
    • O segundo trimestre começa com 14 semanas de gestação e se estende até 27 semanas e 6 dias.
    • O terceiro trimestre começa com 28 semanas de gestação e se estende até o parto.
  • As convenções de notação gestacional baseiam-se na semana de 7 dias, por exemplo, a idade gestacional de 25 mais 4 significa 25 semanas e 4 dias.

Microcefalia

  • A infecção pelo zika vírus durante a gravidez é uma causa de microcefalia e outros defeitos cerebrais graves do feto.
  • A microcefalia é diagnosticada quando o perímetro cefálico de um bebê é menor do que o esperado em comparação com bebês da mesma idade (ou idade gestacional) e sexo.
  • A microcefalia pode ser determinada pela medição do perímetro cefálico (PC) após o nascimento.
  • Embora as medições do perímetro cefálico possam ser influenciadas pela moldagem e por outros fatores relacionados ao parto, elas devem ser feitas no primeiro dia de vida, pois as tabelas de referência de perímetro cefálico no nascimento por idade e sexo mais comuns baseiam-se nas medições feitas antes das 24 horas de idade.  O fator mais importante é que o perímetro cefálico seja cuidadosamente medido e documentado. Se a medição não for feita nas primeiras 24 horas de vida, o perímetro cefálico deve ser medido o quanto antes após o nascimento.
  • Para medir o PC com precisão, use uma fita métrica que não possa ser esticada. Envolva firmemente a fita ao redor da maior circunferência possível da cabeça, que fica normalmente de um a dois dedos acima da sobrancelha na testa até a área mais saliente da parte de trás da cabeça. Essa medição deve ser refeita 3 vezes seguidas, e a maior medição registrada arredondando-se para o 0,1 centímetro mais próximo deve ser selecionada.
  • Mais informações sobre microcefalia estão disponíveis:
Início