Vá diretamente para a pesquisa Vá diretamente para a lista de A a Z Vá diretamente para a navegação Vá diretamente para as opções de página Vá diretamente para o conteúdo do site

As 10 melhores dicas de planejamento de resposta ao zika: algumas informações para agentes de saúde estaduais, tribais e territoriais

Este site é atualizado com frequência, no entanto, alguns conteúdos podem ser exibidos em inglês até que sejam traduzidos.

Antecedentes

Em dezembro de 2015, Porto Rico, um território dos EUA, relatou seu primeiro caso confirmado da doença do zika vírus.

Atualmente, os surtos de zika estão ocorrendo em muitos países e territórios. Transmissão do zika vírus por mosquito local também foi relatada no território contíguo dos Estados Unidos. O CDC avalia continuamente os casos de transmissão de zika nos Estados Unidos e nos territórios dos EUA e atualiza suas orientações assim que novas informações são disponibilizadas.

Em maio de 2015, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) emitiu um alerta sobre o primeiro caso confirmado de infecção pelo zika vírus no Brasil. O surto no Brasil coincidiu com um aumento nos relatos da síndrome de Guillain-Barré (SGB) e de mulheres grávidas que dão à luz bebês com defeitos congênitos. Recentemente, os cientistas do CDC anunciaram que agora existe evidência suficiente para concluir que a infecção pelo zika vírus durante a gravidez é uma causa de microcefalia e outros defeitos cerebrais graves do feto.

As respostas locais, estaduais e territoriais aos casos de zika ou a um surto serão distintas nas jurisdições em que os mosquitos da espécie Aedes (A. aegypti e A. albopictus) são endêmicos e, portanto, as populações locais de mosquitos podem ser infectadas pelo zika vírus. Todos os locais provavelmente terão casos associados a viagens, e há necessidade prioritária de capacidades de teste em laboratório, epidemiologia aprimorada e sistemas de vigilância e apoio para as mulheres grávidas e famílias com bebês nascidos com microcefalia ou outros defeitos congênitos ligados à infecção pelo zika vírus. A seguir, são apresentados os recursos que o CDC desenvolveu para ajudar agentes de saúde pública estaduais, locais e territoriais a se preparar para possíveis casos de zika vírus.

1) Vigilância e controle de vetores

Aplicável em todos os locais onde os mosquitos Aedes aegypti ou Aedes albopictus são endêmicos

Objetivo

Direcionar programas de controle de vetores em áreas prioritárias/populações de risco para suprimir a transmissão do zika vírus se forem detectados casos locais ou um surto.

Etapas da ação

  • Estabelecer uma rede de comunicação com parceiros de controle/vigilância de vetores.
  • Desenvolver e implementar um plano para estabelecer ou melhorar a vigilância e o controle de vetores localmente, especialmente em jurisdições onde o Aedes aegypti e o Aedes albopictus são endêmicos.
  • Identificar e, se necessário, treinar parceiros para preencher lacunas na cobertura do controle de vetores em caso de infecção dos mosquitos locais pelo zika vírus.
  • Instruir as comunidades sobre como reduzir populações de vetores por meio da redução de focos.
  • Instruir as comunidades sobre como se proteger usando a proteção pessoal e métodos básicos de prevenção de mosquitos.
  • Fornecer orientação sobre vetores e serviços de controle de vetores para mulheres grávidas em áreas de alto risco.

Recursos

2) Vigilância em saúde pública e investigação epidemiológica

Objetivos

Garantir o diagnóstico adequado e a notificação de casos do zika vírus; monitorar as tendências epidemiológicas em distribuição, transmissão e gravidade; dirigir os esforços de prevenção e controle; e identificar casos que requerem acompanhamento ou intervenção.

Etapas da ação

  • Determinar se estão estabelecidos sistemas e procedimentos para identificar casos possíveis ou confirmados de zika:
    • Por meio de infecções sintomáticas
    • Em mulheres grávidas
    • Associados com resultados reprodutivos ou congênitos, inclusive microcefalia
    • Associados com a síndrome de Guillain-Barré
    • Associados com transfusões de sangue
    • Associados com a transmissão sexual.
  • Garantir que investigadores e médicos tenham as mais recentes definições de casos desenvolvidas com o apoio do Conselho de Epidemiologistas dos Estados e Territórios.
  • Garantir que os médicos estejam cientes de que, por ser uma arbovirose, o zika é uma condição de declaração obrigatória em território nacional, por meio do National Notifiable Disease Surveillance System.

Recursos

Definições de casos atuais [PDF - 11 páginas]

3) Testes em laboratório e serviços de apoio

Objetivo

Garantir que os departamentos de saúde estaduais e territoriais tenham o apoio necessário para testar adequadamente amostras de casos de suspeita de zika.

Etapas da ação

  • Determinar quais laboratórios na jurisdição são capazes de conduzir testes de ácido nucleico (NAT) para RNA ou ELISA de anticorpos de IgM para a infecção pelo zika vírus.
  • Avaliar a capacidade de rotina e de disponibilização rápida dos laboratórios para auxiliar na definição de prioridades para o teste de amostras.
  • Comunicar-se com profissionais de saúde sobre como enviar amostras através do departamento de saúde do estado.
  • Estabelecer um ponto de contato para os profissionais de saúde que têm dúvidas em relação aos serviços de teste e interpretação dos resultados de testes para a infecção pelo zika vírus.

Recursos

4) Prevenção de infecções por zika vírus transmitidas sexualmente

Objetivo

Reduzir o risco de zika vírus sexualmente transmitido, fornecendo orientações sobre os riscos ao público e aos médicos para que possam aconselhar seus pacientes.

Etapas da ação

  • Instruir o público e os médicos para que estejam cientes dos riscos de transmissão sexual do zika vírus para que o público, especialmente as mulheres grávidas, sigam orientações de prevenção da transmissão e da disseminação do vírus.

Recursos

5) Prevenção de infecções por zika vírus transmitidas por transfusão de sangue

Objetivo

Reduzir o risco de zika vírus transmitido por transfusão durante um surto local ou surto mais generalizado em áreas com transmissão ativa.

Etapas da ação

  • Coordenar com parceiros locais e estaduais de epidemiologia e vigilância para identificar o apoio necessário para investigar infecções por zika vírus com suspeita de associação com produtos de sangue ou transfusões em colaboração com hemocentros locais e unidades de saúde que fazem transfusões.
  • Identificar hemocentros locais em áreas endêmicas para garantir que os produtos de sangue coletados sejam testados quanto ao zika vírus, com base na tecnologia de redução de patógenos ou que venham de fontes onde a infecção por zika não está presente.

Recursos

6) Vigilância e resposta para saúde materna e infantil

Objetivo

Prevenir a infecção pelo zika vírus durante a gravidez, monitorar mulheres grávidas com infecção pelo zika vírus suspeita ou confirmada e acompanhar para monitorar resultados adversos na gravidez e no bebê.

Etapas da ação

  • Determinar se há um sistema estadual de comunicação de registros de gravidez estabelecido para monitorar ativamente as mulheres grávidas com infecção suspeita ou confirmada pelo zika vírus.
    • Incorporar as informações desse sistema em outros sistemas que monitoram mulheres grávidas e bebês/crianças.
      Trabalhar com o CDC para se envolver no registro de gravidez dos EUA.
    • Garantir que os materiais de treinamento e educação do CDC sejam adequadamente complementados com informações sobre os requisitos estaduais/territoriais e distribuídos para os profissionais de saúde a fim de:
      • Chegar os profissionais da saúde que aconselham pacientes sobre como reduzir o risco de transmissão sexual do zika vírus e reduzir gestações indesejadas através do fornecimento de contraceptivos eficazes.
      • Aconselhar pacientes, especialmente mulheres grávidas e mulheres que tentam engravidar, sobre como reduzir a exposição aos mosquitos.
      • Assegurar que os provedores de obstetrícia intensifiquem a triagem para sintomas de zika e sigam as orientações do CDC para monitorar mulheres grávidas em regiões com transmissão local.

Recursos

7) Monitoramento e acompanhamento rápido de defeitos congênitos

Objetivo

Garantir a rápida detecção de microcefalia, de outros importantes defeitos congênitos e de outras deficiências que podem estar associadas com a infecção pelo zika vírus e planejar serviços adequados para atender essas crianças e suas famílias

Etapas da ação

  • Para os estados/territórios com um programa estadual de vigilância de defeitos congênitos assegurarem que os profissionais da saúde tenham informações sobre requisitos de comunicação e infraestrutura.
  • Garantir que os materiais de treinamento e educação do CDC sejam adequadamente complementados com os requisitos estaduais/territoriais e distribuídos para os profissionais de saúde da área pediátrica para que possam avaliar bebês com possível infecção congênita pelo zika vírus.
  • Determinar se as necessidades projetadas (médicas e de apoio) para famílias com um filho com microcefalia ou outro defeito congênito importante foram avaliadas e planejadas, e se há um sistema estabelecido com capacidade de tratar adequadamente essas necessidades.

Recursos

8) Notícias de saúde em viagens

Objetivo

Garantir que os viajantes para áreas com transmissão local do zika vírus recebam informações adequadas sobre os riscos e as medidas de proteção.

Etapas da ação

  • Divulgar avisos de viagem destinados a informar viajantes e médicos sobre os riscos de infecção por zika relacionados a destinos específicos e fornecer recomendações de prevenção.

Recursos

9) Divulgação clínica e comunicação

Objetivo

Informar profissionais da saúde sobre riscos, reconhecimento, diagnóstico, relatórios, gestão clínica, resultados e prevenção de infecções pelo zika vírus.

Etapas da ação

  • Revisar atualizações do material sobre o zika, incluindo orientações de atendimento clínico, e complementar o material para atender a necessidades/regulamentos da jurisdição.
  • Identificar os canais mais adequados e funcionais para compartilhar informações com os profissionais de saúde (por exemplo, rede de alerta saúde, webinars).

Recursos

10) Comunicação de riscos/educação comunitária

Objetivo

Informar o público sobre o zika vírus e doenças ou defeitos congênitos relacionados, especialmente microcefalia e outros efeitos prejudiciais para mulheres grávidas e seus fetos.

Etapas da ação

  • Desenvolver mensagens de comunicação, produtos e programas com os principais parceiros e partes interessadas para harmonizar a resposta para pessoas que viajam ou vivem em áreas com maior risco de transmissão de zika.
    • Identificar os principais veículos de comunicação para as áreas com populações de alto risco (por exemplo, rádio e televisão) e a possibilidade de usar esses canais para divulgar mensagens.
    • Usar o documento com as principais mensagens do Centro de Informações Conjuntas do CDC (JIC), o website do CDC sobre o zika e outros recursos do CDC, juntamente os recursos locais, conforme necessário, para preparar os materiais das mensagens.
    • Trabalhar com o JIC do CDC no desenvolvimento de materiais impressos, de rádio e visuais, conforme necessário.
  • Identificar fornecedores locais para tradução (conforme necessário), impressão, sinalização, desenvolvimento de audiovisual/anúncio de serviço público e determinar o que é necessário (financiamento, aprovação de contrato) para usar esses recursos para a mensagem e a disseminação de produtos.

Recursos

Início