Vá diretamente para a pesquisa Vá diretamente para a lista de A a Z Vá diretamente para a navegação Vá diretamente para as opções de página Vá diretamente para o conteúdo do site

O zika está na sua região: o que fazer

Este site é atualizado com frequência, no entanto, alguns conteúdos podem ser exibidos em inglês até que sejam traduzidos.

Fatos importantes

  • O zika vírus é transmitido às pessoas principalmente pela picada de um mosquito.
  • Muitas pessoas que são infectadas não apresentam sintomas. Nas pessoas que adoecem, os sintomas (febre, erupção cutânea, dor articular e olhos vermelhos) são geralmente leves e duram de vários dias a uma semana.
  • O zika pode causar graves defeitos congênitos em bebês nascidos de mulheres que foram infectadas com o zika vírus durante a gravidez.
  • Pesquisas sugerem que o zika é altamente associado à síndrome de Guillain-Barré (SGB), um distúrbio raro que pode provocar fraqueza muscular e, algumas vezes, paralisia.
  • O zika pode ser transmitido pela relação sexual de uma pessoa contaminada para os seus parceiros sexuais. O zika pode ser transmitido pela relação sexual, mesmo que a pessoa infectada não apresente sintomas no momento da relação.
  • Como não existe vacina ou tratamento para o zika, as pessoas que vivem ou viajam para áreas com risco de zika devem tomar medidas para prevenir infecções.
Mosquito

Prevenir picadas de mosquitos

Todas as pessoas que vivem ou viajam para áreas com risco de zika devem tomar medidas para prevenir picadas de mosquitos

  • Cobrir a pele exposta, vestindo camisas de mangas compridas e calças compridas.
  • Usar repelentes de insetos registrados na EPA que contêm um dos seguintes ingredientes ativos: DEET, picaridina, IR3535, óleo de eucalipto citriodora, para-mentano-diol ou 2-undecanona.  Usar sempre de acordo com as instruções.
    • Mulheres grávidas e lactantes podem usar todos os repelentes de insetos registrados na EPA de acordo com o rótulo do produto. Não use repelente de insetos em bebês com menos de 2 meses de idade. Pode-se usar mosquiteiros para cobrir bebês com menos de 2 meses em bebês conforto, carrinhos ou berços, para protegê-los contra picadas de mosquito.
    • Não use produtos que contenham óleo de eucalipto citriodora ou para-mentano-diol em crianças com menos de 3 anos de idade.
    • Adultos: pulverize o repelente de insetos em suas mãos e, em seguida, aplique-o no rosto da criança.

Prevenir a contaminação pela relação sexual

Previna a transmissão sexual do zika usando preservativos ou não tendo relações sexuais.

Preservativos podem reduzir a chance de contrair o zika pela relação sexual. Para serem eficazes, os preservativos devem ser usados do início ao fim todas as vezes na relação sexual vaginal, anal e oral, e ao compartilhar brinquedos sexuais. O zika pode ser transmitido de uma pessoa com zika antes do início dos sintomas, enquanto a pessoa apresenta os sintomas e depois que os sintomas desaparecem.

  • Casais grávidos em que um dos parceiros vive ou viajou para uma área com risco de zika devem usar preservativos ou não ter relação sexual durante a gravidez. Isso é importante, mesmo que não apresentem sintomas do zika ou sintam-se doentes.
  • As pessoas que vivem em áreas com risco de zika e estão preocupadas com transmissão sexual devem usar preservativos ou não ter relação sexual.
  • Qualquer mulher que não esteja grávida nem tentando engravidar que queira evitar contrair ou transmitir o zika durante o ato sexual pode usar preservativo todas as vezes que tiver relação sexual ou não ter relações sexuais. O período de tempo recomendado para tomar essas precauções dependerá da situação da pessoa ou do casal.

 

Grávidas: fazer o teste do zika vírus

Imagem de uma gestante falando com seu médico
  • Todas as gestantes nos Estados Unidos devem ser avaliadas em relação à possível exposição ao zika vírus em cada visita de pré-natal.
  • Gestantes que viajaram para uma área com risco de zika onde há um aviso de viagem sobre o zika do CDC devem ser testadas para zika mesmo que não apresentem sintomas.
  • Gestantes que viajaram para uma área com risco de zika onde não há um aviso de viagem sobre o zika do CDC devem ser testadas se desenvolverem sintomas de zika ou se o feto apresentar anormalidades em uma ultrassonografia, que possam estar relacionadas à infecção por zika.
  • Gestantes que vivem em uma área com um aviso de viagem sobre o zika estão em risco de contrair o zika durante a gravidez. Por essa razão, devem ser testadas na primeira visita do pré-natal e uma segunda vez no segundo trimestre da gravidez.

Discutir o planejamento de uma gravidez com o seu profissional de saúde

Imagem de uma mulher conversando com seu médico
  • Homens e mulheres que pensam em ter filhos e que vivem em áreas com risco de zika devem conversar com um profissional de saúde sobre seus planos de gravidez durante um surto do zika vírus, os potenciais riscos do zika e como podem prevenir a infecção pelo zika vírus durante a gravidez.
  • Como parte do aconselhamento com profissionais de saúde, algumas mulheres e seus parceiros que vivem em áreas com zika podem decidir adiar a gravidez.
  • Consulte os prazos recomendados a aguardar antes de tentar engravidar, de acordo com a exposição e os sintomas.

 

Se você adoecer

Se você se sentir doente e achar que pode ter zika
Imagem de uma mulher se deitando
  • Fale com seu médico caso você desenvolva os sintomas do zika (febre, erupção cutânea, dor articular ou olhos vermelhos).
  • Tome acetaminofeno (Tylenol®) para diminuir a febre e aliviar a dor. Não tome aspirina ou outros anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno, até que a dengue seja descartada.
  • Faça repouso e tome muito líquido.

Durante mais ou menos a primeira semana de infecção, o zika vírus pode ser encontrado geralmente no sangue e pode ser transmitido de uma pessoa infectada para um mosquito por meio de picadas de mosquito. O mosquito infectado pode transmitir o vírus a outras pessoas.

Para ajudar a evitar que outros fiquem doentes, siga estritamente os passos para prevenir picadas de mosquitos durante a primeira semana da doença.

INÍCIO