Vá diretamente para a pesquisa Vá diretamente para a lista de A a Z Vá diretamente para a navegação Vá diretamente para as opções de página Vá diretamente para o conteúdo do site

Orientações para pessoas que vivem ou viajam para o sul da Flórida

Este site é atualizado com frequência, no entanto, alguns conteúdos podem ser exibidos em inglês até que sejam traduzidos.

Áreas em Miami, FL, em que o zika vírus está sendo transmitido por mosquitos

Condado de Miami-Dade, FL. O contorno em vermelho mostra áreas anteriormente designadas como áreas de transmissão ativa de zika (vermelhas). O contorno em amarelo mostra áreas anteriormente designadas como áreas de precaução (amarelas) contra o zika.


Área em Miami, FL, em que o zika vírus está sendo transmitido por mosquitos.

Condado de Miami-Dade, FL. O contorno em vermelho mostra áreas anteriormente designadas como áreas de transmissão ativa de zika (vermelhas). O contorno em amarelo mostra áreas anteriormente designadas como áreas de precaução (amarelas) contra o zika.

O CDC emitiu anteriormente orientações relacionadas ao zika às pessoas que vivem ou viajam para o condado de Miami-Dade, Flórida, aconselhando que gestantes não viajassem para essa área devido à transmissão local do zika vírus. O CDC designa áreas para prevenção de transmissão do zika vírus no território contíguo dos Estados Unidos e no Havaí como áreas vermelhas e amarelas. O condado de Miami-Dade anteriormente era designado como uma área de precaução contra o zika (amarela), mas essa designação foi removida em 2 de junho de 2017. Isso significa que não há mais quaisquer recomendações de viagem relacionadas ao zika vírus para o condado de Miami-Dade, Flórida. Embora o nível de risco de transmissão do zika vírus após a remoção da área amarela seja desconhecido, provavelmente será baixo. No entanto, casos esporádicos ainda podem ocorrer. Por isso, o CDC recomenda que pessoas vivendo ou viajando para o condado de Miami-Dade continuem se protegendo contra doenças transmitidas por mosquitos, inclusive o zika vírus, seguindo as orientações abaixo. Veja as orientações de viagem, testes e planejamento de gravidez do CDC para áreas com transmissão reportada do zika vírus Zika por mosquito.

Viagens

  • Como o condado de Miami-Dade não é mais uma área amarela, não há recomendações de evitar viagens a essa área.

Prevenção

  • Mulheres e homens que vivem ou viajam para o condado de Miami-Dade devem ficar atentos a novos relatórios sobre a transmissão do zika vírus na área e seguir as medidas para prevenir picadas de mosquitos a fim de reduzir o risco de doenças transmitidas por mosquitos, inclusive o zika vírus.
  • Como o zika vírus pode persistir por meses no sêmen, ainda pode haver risco de transmissão sexual, independentemente de o parceiro ter tido ou não sintomas de zika. Gestantes e seus parceiros que vivem ou viajam para o condado de Miami-Dade e quiserem reduzir o risco de infecção pelo zika vírus devem usar preservativos sempre que tiverem relações sexuais (inclusive sexo vaginal, anal e oral), ou devem evitar as relações durante a gravidez.
  • Homens e mulheres que não estiverem grávidas que vivem ou viajam para essas áreas e quiserem reduzir o risco de infecção pelo zika vírus devem considerar usar preservativos sempre que tiverem relações sexuais, ou não ter relações sexuais.  Homens devem considerar usar preservativos por pelo menos 6 meses, e mulheres devem considerar ter relações sexuais com preservativo por pelo menos 8 semanas a partir de 2 de junho de 2017.

Teste e diagnóstico

  • Gestantes que viveram ou viajaram para o condado de Miami-Dade entre 1º de agosto de 2016 e 2 de junho de 2017 devem fazer o teste do zika vírus.
  • Gestantes que tiveram relações sexuais sem preservativo com um parceiro que viveu ou viajou para o condado de Miami-Dade entre 1º de agosto de 2016 e 2 de junho de 2017 devem fazer o teste do zika vírus. Além disso, os profissionais de saúde podem considerar testar as mulheres grávidas que tiveram relações sexuais sem preservativo até 6 meses após a designação de área amarela ter sido removida com um parceiro que viveu ou viajou para essa área enquanto ela tinha uma designação amarela.
  • Gestantes que tiveram relações sexuais sem preservativo com um parceiro que foi diagnosticado com a doença causada pelo zika vírus ou com um parceiro que viajou para qualquer área com risco de zika e um aviso de viagem do CDC devem fazer o teste do zika vírus.
  • Gestantes que tenham vivido ou viajado para o condado de Miami-Dade, ou que tenham tido relação sexual com alguém que tenha vivido ou viajado para o condado de Miami-Dade, e que tenha resultados que sugiram síndrome congênita de zika, devem fazer o teste.
  • Gestantes que viveram ou viajaram para a área antes da designação de área amarela ser removida e engravidaram até 8 semanas após a remoção da designação.
  • Gestantes que engravidaram até 6 meses após a designação de área amarela ter sido removida com um parceiro que viajou ou viveu na área antes da remoção da designação.
  • Recém-nascidos com defeitos congênitos relacionados à infecção congênita por zika e cujas mães tenham vivido ou viajado para o condado de Miami-Dade, ou tido relações sexuais sem preservativo com alguém que tenha vivido ou viajado para o condado de Miami-Dade, devem fazer o teste.
  • Qualquer pessoa que tenha vivido, viajado ou tido relações sexuais sem preservativo com alguém que tenha vivido ou viajado para o condado de Miami-Dade entre 1º de agosto de 2016 e 2 de junho de 2017, que tenha sinais e sintomas consistentes com a doença causada pelo zika vírus, deve fazer o teste.

Planejamento de gravidez

  • As pessoas que moram no condado de Miami-Dade devem falar com seus profissionais de saúde sobre planos de gravidez. Embora o nível de transmissão do zika vírus provavelmente seja baixo, casos esporádicos ainda podem ocorrer. Além disso, os casais devem considerar o possível ressurgimento da transmissão ativa do zika vírus durante a próxima temporada de mosquitos no planejamento da gravidez.
  • Homens que viajaram para o condado de Miami-Dade entre 1º de agosto de 2016 e 2 de junho de 2017 devem considerar esperar pelo menos 6 meses após sua última possível exposição a essa área antes de tentar engravidar sua parceira.
  • Mulheres que viajaram para o condado de Miami-Dade entre 1º de agosto de 2016 e 2 de junho de 2017 devem considerar esperar pelo menos 8 semanas após sua última possível exposição a essa área antes de tentar engravidar de seu parceiro.
  • Se o casal viajou junto para o condado de Miami-Dade entre 1º de agosto de 2016 e 2 de junho de 2017, eles devem considerar esperar pelo menos 6 meses após sua possível exposição a essa área antes de tentarem engravidar.
  • Poucos dados estão disponíveis sobre a persistência do zika em fluidos corporais e as chances de danos à gravidez quando a mulher estiver infectada com zika no momento da concepção. Alguns casais em que existe possibilidade de um dos parceiros ter sido exposto ao zika vírus podem optar por aguardar mais ou menos tempo do que o período recomendado para tentar engravidar. Para obter mais informações, veja as orientações de viagem, testes e planejamento de gravidez do CDC para áreas onde foi reportada transmissão do zika vírus por mosquito.

Antigas áreas de transmissão ativa do zika (áreas vermelhas) e áreas de precaução contra o zika (áreas amarelas)

Como a designação de área amarela foi removida em 2 de junho de 2017, as orientações mostradas acima agora aplicam-se a todas as regiões do condado de Miami-Dade anteriormente designadas como áreas vermelhas ou amarelas. Homens e mulheres que vivam ou tenham viajado para essas áreas devem saber que esses locais foram anteriormente considerados áreas de transmissão do zika vírus. Embora o nível de risco da transmissão do zika vírus depois da remoção da designação de área amarela seja desconhecido, é provável que seja baixo. Essa informação reflete a atual situação no condado de Miami-Dade, Flórida. O CDC fornecerá atualizações caso a situação mude.

Histórico

Em 2 de junho de 2017, o CDC removeu a designação de área amarela do condado de Miami-Dade. A designação de área amarela foi removida pois os critérios identificados no plano de resposta provisório do CDC ao zika foram atendidos: mais de três períodos de incubação do mosquito (45 dias) passaram sem confirmações adicionais de casos de transmissão no local e nenhum caso de suspeita de transmissão no local sob investigação com a vigilância reforçada presente.

Em 9 de dezembro de 2016, o CDC removeu a designação de área vermelha da área de 1,5 milha quadrada de South Miami Beach, após três períodos de incubação do mosquito (45 dias) terem passado sem quaisquer novos casos de transmissão local do zika. A orientação para áreas amarelas se aplica agora à área de South Miami Beach e todo o condado de Miami-Dade.

Em 2 de dezembro de 2016, o CDC removeu a designação de área vermelha da área de 1 milha quadrada de Little River, após mais de três períodos de incubação do mosquito (45 dias) terem passado sem quaisquer novos casos de transmissão local do zika. A orientação para áreas amarelas se aplica agora à área de Little River.

Em 21 de novembro de 2016, o CDC atualizou as orientações para a área de 4,5 milhas quadradas de Miami Beach. As seções North e South Miami Beach estão sendo consideradas separadas novamente pois nenhum novo caso de transmissão local do zika vírus foi identificado na área de North Miami Beach após três períodos de incubação do mosquito (45 dias), sugerindo que o risco de infecção pelo zika vírus em North Miami Beach já não é maior do que no resto do condado de Miami-Dade. A área original de 1,5 milhas quadradas de South Miami Beach para a qual a orientação foi emitida em 17 de setembro permanecerá como área vermelha até que se passem 45 dias sem novos casos. O restante do condado de Miami-Dade foi designado como área de precaução contra o zika (área amarela). As orientações para as áreas amarelas se aplicam agora a North Miami Beach.

Em 19 de outubro, como a transmissão do zika vírus continuou a ser relatada no condado de Miami-Dade, o CDC atualizou as suas orientações de viagem e teste para atender às recomendações de todo o condado de Miami-Dade.

Em 13 de outubro, a Flórida anunciou uma nova área de transmissão de zika vírus por mosquito em uma área adicional de 1 milha quadrada de Little River, no condado de Miami-Dade, FL.

Em 19 de setembro, o CDC atualizou as orientações para a área designada de Wynwood após três períodos de incubação do mosquito terem passado sem qualquer novo caso de transmissão local do zika.

Em 19 de agosto, o CDC também emitiu orientações para uma seção de 1,5 milhas quadradas de Miami Beach identificada como foco de transmissão do zika por mosquito; em 17 de setembro, essa seção foi ampliada para uma área de 4,5 milhas quadradas, que inclui áreas de North Miami Beach.

Em 1º de agosto de 2016, o CDC emitiu orientações para pessoas que vivem ou viajam para uma área de 1 milha quadrada do bairro de Wynwood em Miami, FL, identificada pelo Departamento de Saúde da Flórida como foco de transmissão do zika por mosquito.

Para tirar dúvidas sobre o controle do mosquito na Flórida

Os agentes de saúde da Flórida podem responder a perguntas específicas sobre o seu programa de controle do mosquito. Os tratamentos aéreos com produtos que reduzem rapidamente as populações de mosquitos podem ajudar a limitar o número de mosquitos que carregam o zika vírus. As repetidas aplicações aéreas de inseticida reduziram as populações de mosquitos como parte de um programa integrado de controle de mosquitos.

INÍCIO