Vá diretamente para a pesquisa Vá diretamente para a lista de A a Z Vá diretamente para a navegação Vá diretamente para as opções de página Vá diretamente para o conteúdo do site

Coleta e envio de amostras no momento do nascimento para teste do zika vírus

Este site é atualizado com frequência, no entanto, alguns conteúdos podem ser exibidos em inglês até que sejam traduzidos.

diagrama de uma placenta
Tabela 1

Informações gerais

Testes laboratoriais para detecção da infecção congênita pelo zika vírus são recomendados para bebês nascidos de mães com evidência laboratorial de infecção pelo zika vírus durante a gravidez, e para os bebês que apresentem sinais clínicos anormais sugestivos de síndrome congênita do zika vírus e uma ligação epidemiológica materna, sugerindo uma possível transmissão, independentemente dos resultados maternos dos testes do zika vírus.

Para bebês nascidos de mães com fatores de risco para a infecção materna pelo zika vírus (viajaram ou vivem em uma área com risco de transmissão do zika ou tiveram relação sexual com um parceiro que tenha viajado ou vivido em uma dessas áreas) e que essas mães não tenham sido testadas antes do parto, deve ser realizada uma avaliação do bebê, incluindo exame físico abrangente e medição cuidadosa da circunferência da cabeça. O teste de diagnóstico materno deve ser realizado e deve ser considerado o teste de ácido nucleico (NAT) da placenta para RNA do zika vírus. Se um bebê aparentar estar bem clinicamente, a avaliação mais aprofundada e testes podem ser adiados até que os resultados dos testes maternos estejam disponíveis. No entanto, se houver uma preocupação com o acompanhamento do bebê, o teste deve ser realizado antes da alta hospitalar.

IMPORTANTE: a aprovação prévia é obrigatória antes do envio de amostras de tecido. Para obter a aprovação prévia, fale com pathology@cdc.gov e eocevent189@cdc.gov.

Coleta e envio de amostras para teste do zika vírus no momento do nascimento

Coleta e envio de amostras para teste do zika vírus no momento do nascimento

Profissionais de saúde
  1. Assegure que seu departamento de saúde estadual, territorial, tribal ou local tenha sido notificado e recebido a aprovação prévia do CDC para o envio e remessa de amostras antes que elas sejam coletadas e enviadas.
    • Instituições com patologias cirúrgicas disponíveis: consultem a patologia cirúrgica relacionada à coleta e ao processamento adequados de amostras para teste do zika vírus.
    • Instituições sem patologia cirúrgica disponível: consultem a tabela abaixo para um guia geral sobre a coleta de amostras de tecido para o teste do zika vírus.
  2. As amostras devem ser enviadas APENAS ao CDC diretamente dos departamentos de saúde. A linha direta de gravidez com zika do CDC (770-488-7100) está disponível 24/7 para profissionais de saúde e departamentos de saúde para consulta sobre gestão de mulheres grávidas e bebês com possível presença do zika vírus. A linha direta também pode ajudar com perguntas sobre o envio de amostras. Profissionais de saúde e departamentos de saúde estaduais e locais podem ligar para o plantão do CDC no 770-488-7100 (solicitar a linha direta de gravidez com zika do CDC) ou enviar um e-mail para zikapregnancy@cdc.gov.
Departamentos de saúde
  1. Ao enviar amostras, envie também o formulário 50.34 do CDC com todas as amostras. Para o nome do pedido de teste, escreva "zika vírus".
  2. A aprovação prévia é obrigatória antes do envio de todas as amostras de tecido (ou seja, placenta e cordão umbilical). Fale com pathology@cdc.gov e eocevent189@cdc.gov para discutir o caso e obter aprovação prévia. Se tiver mais perguntas para a Infectious Diseases Pathology Branch, ligue para 404-639-3133.
  3. Se tiver mais perguntas para a Arboviral Diseases Branch (divisão de arboviroses), ligue para 970-221-6400.
Relatório de resultados
  1. Os resultados dos testes serão enviados ao departamento de saúde estadual e ao profissional de saúde que solicitou os testes. Os resultados não serão informados diretamente aos pacientes.
  2. O prazo de entrega dos resultados dependerá do volume de testes e dos sistemas de relatório existentes.
Tipo de amostra Instruções gerais Observações Armazenamento Remessa
Soro do bebê
  • Pelo menos 1 ml
  • Transfira o soro para um tubo de plástico medindo aproximadamente 50 mm de altura e 15 mm de diâmetro (ex.: tubo criogênico de 1,8 ml ou microtubo de 2,0 ml) com tampa roscada fixada com película termoplástica autovedante de laboratório.
  • Para teste de anticorpos e NAT para RNA, as amostras devem ser mantidas sob refrigeração (2 a 6 °C) ou congeladas (-70 °C).
  • Para testes de isolamento de vírus, as amostras devem ser congeladas assim que possível (-70 °C).
  • Para amostras sob refrigeração, a amostra deve ser colocada em um recipiente isolado com sacos de gelo adequados para garantir a integridade da amostra ("cadeia fria").
  • Para amostras congeladas, envie a amostra com gelo seco suficiente para garantir que as amostras permaneçam congeladas até serem recebidas.

 

Placenta e membranas fetais
  • Vários pedaços de espessura total, inclusive pelo menos 3 pedaços de espessura total (0,5 a 1 cm x 3 a 4 cm de profundidade) do terço médio do disco placentário e pelo menos 1 da margem do disco placentário (veja a ilustração na imagem 1).
  • Tira de 5 x 12 cm de membranas fetais.
  • Inclua seções do disco placentário, membranas fetais e lesões patológicas quando possível.
  • Inclua informações sobre o peso da placenta e amostras do lado materno e do lado fetal da placenta.
  • Coloque uma etiqueta em todas as amostras para identificar a sua localização.
  • Fixe as amostras em formalina.
  • O volume de formalina usado deve ser de cerca de 10 vezes a massa do tecido. Coloque em formalina tamponada 10% neutra por no mínimo 3 dias. Depois de fixado integralmente, o tecido pode ser transferido para etanol de 70% para armazenamento de longo prazo.
  • Armazenamento e remessa à temperatura ambiente.

 

Cordão umbilical
  • Segmentos de 2,5 cm do cordão.
  • 4 amostras ou mais.
  • Os segmentos de cordão umbilical devem ser obtidos de cortes proximal, medial e distal ao local de inserção do cordão umbilical na placenta.
  • Coloque uma etiqueta em todas as amostras para identificar a sua localização.
  • Fixe as amostras em formalina.
  • O volume de formalina usado deve ser de cerca de 10 vezes a massa do tecido. Coloque em formalina tamponada 10% neutra por no mínimo 3 dias. Depois de fixado integralmente, o tecido pode ser transferido para etanol de 70% para armazenamento de longo prazo.
  • Armazenamento e remessa à temperatura ambiente.
  • Infectious Diseases Pathology Branch Centers para controle e prevenção de doenças, 1600 Clifton Rd. NE, MS G-32 Atlanta GA 30329-4027
  • Mais instruções podem ser encontradas aqui.
Urina de bebê
  • Envie 0,5 a 1,0 ml da amostra em um tudo de ensaio esterilizado com tampa roscada fixada com película termoplástica autovedante de laboratório. Certifique-se da vedação, pois amostras com vazamentos não serão aceitas.
  • Não é necessária uma amostra esterilizada.
  • Para teste NAT para RNA, as amostras devem ser mantidas sob refrigeração (2 a 8 °C) ou congeladas (-≤ 20 °C) para armazenamento e envio.
  • Para amostras congeladas, envie a amostra com gelo seco suficiente para garantir que as amostras permaneçam congeladas até serem recebidas.
INÍCIO